Após o sinal


*Para um pianista que muito amei,
   ao som de Yellow.




"Deixe sua mensagem após o sinal"

Esse não é meu primeiro ano sem você. Mas é o primeiro depois que te descobri.  E só quando te descobri foi que me descobri também. Aquele foi de fato meu primeiro ano. Perdoa-me o clichê, perdoa-me a falta de ritmo na voz. Antes de você o tempo só passava. Depois de você, o tempo parou.

Perdoa-me a falta de jeito, acho que ficar tanto tempo sem falar contigo me fez perder a pose. Já deu pra sentir a distância. Até as notícias sobre o clima insistem em deixar isso evidente. Aproveitando o assunto, queria te perguntar se está cuidando bem do meu vinil  "Abbey Road", não que isso tenha a ver com o clima, mas sinto saudades dele.

sinto saudades dele.

Lembro de ter respondido isso na última vez que me perguntaram sobre você. Disse e saí andando, vai que sentiam o cheiro da verdade.

 Sinto saudades sua. Atravessei sua velha cidade, e a minha cidade de sempre carregando oitenta doses de saudades no corpo. Depois de embalar o sono, de embalar minha velha dança. Um dia depois de refazer todo o trajeto pela milésima vez. De repente eu era uma saudade inteira carregando pequenas doses de corpo. Eu não sei em que parte do caminho, não me pergunte, você sabe, eu vivo me perdendo.

Sinto sua falta. E sua falta vem fazendo os meus dias. Você tem feito parte de todos os meus dias, e feito todo o meu tempo. Quando nosso clima coincide. Ou quando seus dias são tão diferentes do meu. Agora é quase sempre. (Ainda sei que não se usa conjunção em começo de frase, é melhor juntar com a anterior. Mas lembro de também termos sido subordinadas)

Vi que você me ligou nos últimos dois fins de semana, achei que como sempre você iria retornar a ligação em qualquer horário. Esperei que você me ligasse, e me contasse sobre seu dia, e tantas outras coisas mais. Não aconteceu.  E não te culpo, você precisa ir pra cama cedo. Mas se estivesse acordado, e por um acaso - ou por todo caso- só não quisesse falar comigo, te entendo ainda assim. Assumo que nesse último ano, o que não mudou em mim foi essa minha falta de organização. De criar uma rotina inteira, em pequenos post-its, essa mania de querer viver um mês em uma semana. De querer a vida inteira em um ano. Eu vivo apostando contra o tempo e querendo ganhar tudo. Mas sempre perco pra ele, e saio devendo tanto.

Te devo muito. Te devo algumas eternas noites em claro que você passou, só pra me ouvir falar sobre nada, te devo alguns novecentos abraços apertados, desses desesperados, que você me deu, e eu não retribuí. Te devo um beijo perdido, um sorriso escancarado, e quarenta xícaras de café. Te devo até o cumprimento da promessa de não te dever mais nada. Te devo tanto que já nem me lembro o quanto, sempre que penso minha dívida aumenta. Acho que tenho contigo, uma dívida exatamente do meu tamanho, te devo na mesma proporção que você se doou pra mim. No fundo, eu me devo pra você.

Não quero acertar as contas, como quem risca num caderno a pendência de um boteco qualquer. "Vai mais uma dose pra mim". Não desliga agora, só quero te dizer que não te culpo se por acaso você encontrou um abraço que compensasse os que não dei. Se por acaso você encontrou alguém que nunca te deveu nada, mas sempre te pagou, só por querer.

Não queria me prolongar, esse monólogo longo não explica nem em tese nossa história (infelizmente) curta. Como vê,  larguei o hábito de emendar um parágrafo no outro. Um capítulo no outro. E depois de você, não existi em uma só linha.

Perdoa-me se isso estiver soando com tristeza, não acho triste. E isso é só mais um achismo desses que não tenho certeza. Nossa história sempre foi cheia de vírgulas, reticências, intertextualidade. Te conheci fazendo, o que levou-te a me abandonar. Você me disse que queria que o mundo vivesse sob as teclas do seu piano. Eu só queria dançar sobre o planeta. Me pergunto deus, porque diabos  o ritmo dos nossos relógios não se ajustaram? Acho que você sempre mereceu alguém melhor, alguém que também saiba te tocar.

Andei vendo retratos seus, sei bem que não sorri em fotos, mas acho que vejo algum rastro qualquer de felicidade nos seus olhos. Você se sai bem no frio. Saiba que estou ajeitando minha vida também. É sessenta por cento triste dizer isso, essa coisa de ver  que nós dois caminhamos tão distantes. Parece egocêntrico mas gostava mesmo de quando você perdia tempo olhando pro meu desajuste. Mas saiba que te ver bem, me faz bem também.

Só não queria que como tantos dos nosso encontros, essa mensagem ficasse perdida, ou fosse esquecida por falta da minha organização. Resolvi ensaiar antes, espero que minha voz não trave. Se por acaso ouvir um barulho, me desculpe, é que esqueci o rádio ligado tocando o disco que você gravou, foi uma maneira que achei de te colocar nos meus dias.

Isso resume bem o meu ano, andei tentando te colocar em todos os meus dias, em todas as minhas coisas. Quis te colocar entre os meu livros favoritos, e entre as frases da Lispector, reservei espaço na bagagem pra te colocar no meu sonho de viajar o mundo. Te coloquei entre o meu par de all star cantado pelo Nando Reis. Quis te colocar ao meu ritmo, pra que a dança fosse melhor...(reticências outra vez)

Mas eu vi que sua música é grandiosa demais pra 'ser colocada' em qualquer canto. Sua música, your skin and bones, são grandiosos demais pra não serem sentidos. Pra serem ajustados. Você é a lei do desajuste em si. E é por isso que eu não devo, mas quero ainda andar contigo lado a lado. "Vai mais uma dose pra mim".

Você é o desajuste mais ajeitado que tive por perto. E diferente das outras coisas, não quero me ver te ajeitando na minha vida. Na minha dança. Quero que você continue por aí desconsertando mundos (como o meu) com os seus concertos e saudades suas.




25 Comentários:

  1. A saudade faz a gente escrever textos tão bonitos não é? E sei lá, eles sempre ficam bom.

    Muito lindo seu texto moça. Mesmo. "_"

    ResponderExcluir
  2. Fiquei sem palavras, que texto lindo, limpo cheio da gente não sou bom com as palavras como vc é! Agora que fui ao piano só toquei sobre a vontade de sair correndo e te ver outra vez. Se cuida pequena.
    Para sempre seu C.F!
    bjss

    ResponderExcluir
  3. Adorei o seu blog e definitivamente amei o modo como transmite tão bem nas palavras aquilo que sente! Estou seguindo o blog ;D

    XX,
    http://cojuliana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ao ver seu comentário em meu blog, decidi visitá-la cheia de expectativas para ver sua dita paixão por escrever... As mesmas foram superadas!
    Sua forma de escrever é linda, me prendeu do começo ao fim.
    Acho admirável textos assim tão intensos, que falam de sentimentos vividos e tão verdadeiros. É um tanto triste como termina, mas admirável.
    É claro que estou seguindo seu blog e assim que der, estarei de volta. Adorei!
    Beeeeijos

    http://oiflordeliz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. A saudade é algo complicado mesmoe a gnt passa enxergar a pessoa em tudo depois.Adorei o texto.

    Passando pra desejar um ótimo 2013, beijos.

    ResponderExcluir
  6. Taináá, to aqui ainda. haha O link do blog é santaironia.blogspot.com.br o outro é do projeto de teatro do qual participo e sou moderadora! haha

    Beijo, garota!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. haha explicado então! Mais tarde passo por lá. Beijoss.

      Excluir
  7. a saudade inspira demais...
    Tô seguindo,bj.
    @angelicapmota
    http://llegaraquince.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Nostalgia define. Pode parecer clichê, mas é inevitável. É sem hora marcada. As vezes a saudade é tamanha, que passamos a enxergar detalhes, um sorriso, um olhar.
    Estou esperando vocês lá no blog. Xero s2
    http://previsoesdeontem.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Que doce, Tainá. Você escreve de uma forma tão leve que nos faz viajar nas palavras.

    Saudade é algo cortante, mas, que nos faz sentirmos viva.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Meu Deus, que texto lindo, Tainá! Você escreve muito bem a saudade, a falta, a ausência. Eu gostei muito desse amor bonito, palpável, que você escreveu. Olha que não é fácil falar de amor, mas você falou perfeitamente! O amor está cheio de clichês, é inevitável, nem se preocupe com isso, rs. :)

    Beijo.

    ResponderExcluir
  11. O seu cantinho continua um encanto realmente, amo lugares onde me sinto em casa, vendo palavras sendo lançadas, sem limites, mas com uma liberdade. Seu blog sempre lindo, parabéns.
    Deus abençoe
    asoonhadora.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Eu entrei no seu blog e pensei "uau, que blog lindo!" e então comecei a ler o texto. Fiquei encantada com a sua maneira de escrever, poxa, invista nisso! Você vai longe guria! Pude sentir cada palavra sua, pude sentir suas emoções fluirem com o texto! Incrível, parabéns! Continue assim, pois a escrita nos liberta!
    Já estou seguindo aqui, é claro! Parabéns :)
    Beijos, DestemidaGarota|Blosgpot.

    ResponderExcluir
  13. AAAAAAAAAAAAAAAAH não acredito que você voltou pra cá, OMG OMG OMG até que fim hein??
    senti saudades, principalmente das suas cartas, me abandonastes neh? ú.u
    AWN, adorei o texto, como sempre você escrevendo muito bem *-*
    bjus ;*

    ResponderExcluir
  14. Velho, você escreve bem pra porr*! Eu adorei, achei super criativo.... FODONAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

    Um beijo e não esquece de dar uma passadinha,
    @heydri - pinkpimenta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Que texto lindo, você escreve muito bem. (meus arrepios ficaram arrepiados com o que você disse)
    Adorei o post, tô te seguindo *-*
    Bjinhos
    http://laialisafa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Um texto exalando sentimento; eu adorei.
    Alguns desajustes são os que melhores se ajustam, não? Nem sempre acontece, mas quando ocorre...

    Feliz ano novo para você.

    O mundo sob o meu olhar

    ResponderExcluir
  17. MEEEOOO DEOOOS , pirei aqui com este texto . *w*
    Lindu . Seguindo aqui claro . Segue o meu ?

    s2dreamsofana.blogspot.com

    Bjão , Luh

    ResponderExcluir
  18. Adorei seu texto, voce escreve MUITO bem... Entre em contato comigo qualquer dia. Estou interessada em suas apalavras ;DD
    http://buscandosonhos.com

    ResponderExcluir
  19. O amor é surpreendente demais. É uma coisa que todo mundo sente, mas que é particular em cada detalhe. Você escreve deliciosamente bem os detalhes desse teu enredo amoroso, que eu desejo que te surpreenda sempre, principalmente, em alegrias.

    (oque não acaba , não termina!)

    Feliz 2013, Tainá!

    ResponderExcluir
  20. Nossa! Perfeito... Não tem outra palavra pra descrever esse texto. Você escreve divinamente. Adorei. Seu texto nos prende do começo ao fim e sabe usar as palavras corretamente, nossa, parabéns!

    Se eu pudesse te contar...

    ResponderExcluir
  21. Boa noite,

    Tão bonito ler tudo isto, ler este texto repleto de amor ao som de uma música que faz com que tudo se torne mágico, com que tudo seja mais intenso.
    Como sempre gosto mesmo muito do que aqui li.

    Um Beijinho

    PS; Estou a precisar de toda a ajudar para um concurso em que o meu blog está, se poderes ajudar agradecia. A informação está toda no meu blog :p

    ResponderExcluir
  22. "De repente eu era uma saudade inteira carregando pequenas doses de corpo". Meu Deus, como você escreve lindo! Como você me tocou! Inclusive me deu vontade de escrever também. Ultimamente estou adiando minhas palavras, adiando a realidade das coisas para não sofrer. Mas eu vou me entregar, e se eu chorar, também será poesia.
    Tem tumblr? O meu é sentimentalforever.tumblr.com

    ResponderExcluir

a frequencia da diversidade, ou apenas os complementos para os meus insanos pensamentos,ou o conforto de saber que me escutam.

 

theme